terça-feira, 7 de julho de 2009

Acaso

Não quero lhe ferir com duras lembranças, tampouco iludir-te com sonhos incertos.
Quero viver o hoje, o agora junto a ti.

Desejo que o medo não mais viva e que o sol possa raiar em meio ao céu nublado.
Quero ver o teu sorrir e me perder em teu olhar.

Não quero esquecer nossos momentos, tampouco resumi-los ao que já passou.
Quero embriagar-me sentindo a chuva nos tocar.

Desejo o novo que me encanta e a iniciativa que nos une, que nos completa.
Quero amar esse acaso que me levou até você.

Não por acaso estou a escrever e a pensar em ti.

7 comentários:

Líviarbítrio disse...

Hmmmm, inspirador.

;) Lindindemais. ;*

Estef@ne... disse...

não sei nem o que dizer, simplesmente maravilhoso...
vc traduziu em palavras, aquilo que eu tbm de certa forma carrego em minha alma ha muito tempo, se não fosse as impossiblidades...

com certeza vc deve tido muita inspiração...lindas mesmo as suas palavras...

bjos
té mais

SAM disse...

Lindo, Thiago! Sucesso nas provas, no amor e na vida!


Beijos

Mar ilha disse...

Queride! Tempo não não vinha no teu blog :/ Poste mais! (:

Secreta disse...

Nada acontece por acaso ... nem mesmo o pensar em alguem enquanto se escreve ... :)

Fábio Flora disse...

Você quis dizer: "Quero embriagar-me [sentindo] a chuva nos tocar". Abraços e sucesso com o blog!

Celo Aglio disse...

Que delícia essa paixãozinha de última hora.

Eu sei o que e pelo quê você faz o que faz!

Mals demorar pra comentar, amei a poesia

Um beijo, amigão.